11 mai

Rafaela Ferreira da Silva tem 24 anos e cursa o 3º ano de Administração de Empresas nas Faculdades Network. A acadêmica que mora em Nova Odessa e é bolsista pelo Programa Escola da Família, é exemplo de que a oportunidade favorece a mente preparada. A estudante venceu dez candidatos num processo seletivo da empresa Teadit Juntas – multinacional do ramo de juntas e vedações, e conquistou a única vaga de estágio. “Não sabemos quantos se candidataram e não conseguiram passar para a seleção final. Graças a Deus me destaquei e conquistei a vaga”, comentou.

Segundo Rafaela, o bom desempenho se deu pelo fato de conhecer a dinâmica e ter compreendido o que seria avaliado. Em uma das etapas do processo seletivo, por exemplo, foi destacado um problema que já tinha sido aplicado em sala de aula pelo prof. Bruno Godoy Cunha.

“O engraçado foi que quando o professor aplicou em sala, a turma questionou o propósito da dinâmica. E esse processo seletivo, ao contrário do que muitos pensaram, não era o resultado que valeria, ou seja, não existia certo ou errado, e sim como e porque você chegou até ele”.

1

Para ela, o nível superior foi o passaporte que garantiu seu ingresso na multinacional. “Eu, até esse momento, só tinha trabalhado em empresas familiares e de pequeno porte, justamente pela falta de oportunidade. Não havia possibilidade de crescimento. E esse emprego na multinacional é muito importante. É resultado do investimento; e quando a gente investe em algo, temos a esperança de que aquilo trará bons frutos”.

Rafaela diz ser exemplo vivo e atual de que a Faculdade é de fundamental importância para inserção no mercado de trabalho. E mais. Que só o fato de oferecer boas perspectivas já vale à pena, e que conhecimento nunca é demais.

“Muitas vezes o conteúdo e metodologia empregados em sala de aula podem não agradar ou parecer sem sentido naquele momento. Mas quando se está atuando e a organização exige de você resultados, se você consegue conciliar com o que aprendeu na Faculdade o que lhe está sendo exigido, o ponto de vista é outro. O conteúdo e metodologia passam a fazer sentido, e seu desempenho melhora. É o que estou vivenciando com as Faculdades Network e a empresa em que trabalho”, avalia.

2

CONTINUAR ESTUDANDO!

Inteligente e determinada, Rafaela acredita que o melhor é continuar trilhando cada vez mais longe, porque o caminho se abrirá. “Sempre faço essa análise: qual a chance de sair do chão e chegar ao topo da escada? O correto para mim é não desistir na dificuldade, e subir degrau por degrau conforme as prioridades”.

A acadêmica pretende continuar estudando depois de formada, porque além de ser importante no quesito profissional, ela analisa como satisfação pessoal. Para ela ser especialista na área que escolher trilhar e quanto mais absorver, maior a necessidade de viver em constante crescimento.

E ao falar em objetivo de vida, ressalta que é muito complicado, especialmente numa sociedade em que há necessidade de lutar pelo bem comum. “Saúde de qualidade, moradia adequada, mínimo de lazer e cultura são coisas que deveríamos ter por direito e/ou serem mais acessíveis. O meu objetivo de vida mediante as dificuldades que temos que enfrentar diariamente, é atingir a meta, primeiro conquistar a vaga de estágio, e continuar lutando para ser efetivada”, finaliza.