22 jun

Após vencer a fase regional da 47ª edição do Concurso Internacional de Redação de Cartas, promovido pela União Postal Universal (UPU) e, no Brasil, realizado pelos Correios no início de maio, Sofia Tognella volta a se destacar entre os estudantes do 9º ano. A redação da estudante do Colégio Network acaba de ser classificada no concurso EPTV na Escola, cujo tema neste ano é “Minha vocação e o propósito de minha vida”.

O projeto EPTV na Escola contempla todas as redes de ensino: municipal, estadual, particular e SESI. “Competi com os nonos anos de todos os colégios da região, e fiquei sabendo da classificação pela professora Luciana Pazini, em sala de aula”, explica.

1

Modesta, Sofia diz que sua expectativa é ficar entre os dez melhores classificados. A premiação é uma visita aos estúdios da EPTV, aonde os ganhadores terão a oportunidade de conhecer os profissionais, visitar redações e estúdios, e tirar dúvidas sobre como são produzidos os telejornais regionais, tanto na emissora de Campinas, como de Ribeirão Preto e São Carlos.

A redação de Sofia Tognella teve como título ‘Não escolhi, nasci assim’. “Sempre me imaginei numa profissão que me permitisse aventuras de exploração e aprendizado pela natureza”, garante.

O concurso da EPTV propõe uma reflexão aos alunos sobre a escolha da profissão, ou seja, a ideia é brincar com a frase ‘O que você quer ser quando crescer?’ – pergunta que pode ter várias respostas quando se trata de criança. Porém, com o amadurecimento a escolha passa a ser certeira. E quando perguntam a Sofia Tognella ‘o que você quer ser quando crescer?’, ela responde sem hesitar: “Quero ser bióloga”.

4

Apesar da pouca idade, a menina é muito determinada. Ela espera que a realização profissional venha do trabalho que verdadeiramente tenha a ver com sua vocação e sua missão pessoal. “Quero servir ao próximo, ajudar a ciência a desenvolver projetos para descobrir a cura de doenças que ainda hoje são consideradas incuráveis. Há pessoas que escolhem a carreira profissional visando somente o retorno financeiro. Assim, mais cedo ou mais tarde, vão sentir a frustração e a falta de motivação. Acabarão executando suas tarefas roboticamente, sem entusiasmo”.

E ela dá o recado: “Quero viver nessa mistura em que homem e natureza se unem em busca de um bem maior; ser útil ao próximo. Quero não perceber onde acaba o encantamento e começa o trabalho. Tenho em minha mente o ponto de partida, e levo em meu coração toda vontade do mundo para realizar esse sonho. Farei por amor à vida (em todas as suas formas) e por amor ao trabalho. Essa é minha vocação”, finaliza Sofia.

A CEO da Network, doutora Tânia Cristina Bassani Cecilio, não poupou elogios à Sofia. “A Sofia está de parabéns pelos excelentes resultados, frutos de dedicação e empenho. Também deixamos os parabéns ao corpo docente da Network, formado por mestres e doutores. Tudo isso, juntamente com um conteúdo de qualidade, tem feito a diferença ao longo de mais de três décadas de existência da Network”.