08 fev

Alexandre Galgani, ex-aluno do Colégio Network (cursou 2º e 3º ano do Ensino Médio) é exemplo de superação. O bicampeão brasileiro em Tiro Esportivo Paralímpico não desistiu da vida após sofrer um acidente na piscina e ter ficado tetraplégico. Sua condição, na época, o obrigou a enfrentar uma mudança radical: tornou-se para-atleta no Tiro Esportivo – categoria Rifle. “Comecei nessa modalidade em setembro de 2013, com a ajuda do meu pai, pois precisava de alguém para me auxiliar. Infelizmente, meu pai veio a falecer em 2014 devido a um problema no coração, durante a disputa do Campeonato de Tiro Esportivo em São Paulo. Até pensei em abandonar a carreira, já que ele era fundamental para mim, mas minha família e amigos não me deixaram desistir e abraçaram a causa comigo”, recorda.

O para-atleta intensificou a rotina de treinos e o resultado tem sido gratificante: são recordes atrás de recordes. Em menos de cinco anos que disputa a modalidade, Galgani já coleciona vitórias e troféus. Atualmente é bicampeão Brasileiro nas três modalidades que disputa, e detém os recordes em todas as competições que já participou. Em 2015 ele conquistou o 1° lugar no Ranking Mundial de Carabina .22 deitado a 50m. Em maio do ano passado bateu o recorde das Américas na Copa do Mundo de Tiro Paralímpico, realizada na Alemanha. Também no ano passado conquistou a vaga direta para os Jogos Rio 2016 na Copa do Mundo em Fort Benning na Georgia-EUA.


Ale GalganiGalgani que avaliou positivamente tanto o nível de ensino como o Colégio Network e disse que o curso foi muito bom e o atendeu em todas as suas necessidades, tem ministrado palestras em escolas e levado o tema motivacional ‘Superação e Projeto de Vida” aonde é convidado a falar da sua vida pessoal e profissional.

Para Galgani que se diz uma pessoa realizada ainda há uma meta a cumprir: vencer o campeonato mundial de Tiro Esportivo Paralímpico. Para tanto, necessita de patrocínio. “ Em campeonato fora do país o Comitê Paralímpico Brasileiro custeia algumas viagens por eu fazer parte da Seleção Paralímpica Brasileira, mas infelizmente ainda está longe de ser o ideal. Estou em busca de patrocínios e parcerias para conseguir atingir minha meta que é ser campeão mundial”, diz.

COLECIONANDO TÍTULOS

Alexandre Galgani entrou para a história do esporte paralímpico brasileiro, ao conquistar o 4º lugar no Mundial de Tiro Esportivo Paralímpico, em Suhl (Alemanha). O atirador assegurou a melhor posição dos atiradores brasileiros nas disputas de Mundiais após obter o inédito lugar na prova de Falling Target Rifle (FTR) para atletas da classe SH2. A excelente colocação do atleta foi o passaporte que ele precisava para os Jogos Paralímpicos (Rio-2016), apesar de não ter tido êxito na sua apresentação ‘em casa’.

Alexandre Galgani

A prova de FTR é dinâmica e tem estilo eliminatório. Alexandre Galgani participou de quatro etapas – no início havia 35 competidores – até chegar à final com outros três adversários. Já na briga pelo terceiro lugar, contra o esloveno Francek Tirsek, o europeu superou Alexandre no tiro de desempate.

O Mundial de Tiro Esportivo Paralímpico teve a participação de 270 atletas, de 55 países, e o Brasil esteve representado por 11 atletas – uma delegação recorde.

Que venham mais conquistas neste ano de 2017!